terça-feira, 1 de outubro de 2013


A história do "Outubro Rosa" lembra aos anos 90,
quando o laço cor-de-rosa foi lançado pela Fundação
Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos
participantes da primeira Corrida pela Cura,
realizada em Nova York e, desde então,
promovida anualmente na cidade.

Em 1997, entidades das cidades de Yuba e Lodi nos Estados Unidos, começaram de fato a comemorar e fomentar ações voltadas a prevenção do câncer de mama. Todas ações eram e são até hoje direcionadas para melhor informar sobre a prevenção pelo diagnóstico precoce. Para sensibilizar e alertar a população, inicialmente as cidades se enfeitavam com laços rosas, em locais públicos. Depois surgiram outras ações: corridas, desfile de modas com portadoras do câncer, partidas de boliche, futebol, etc.

A ação de iluminar de rosa monumentos, prédios públicos, pontes, teatros e etc. surgiu posteriormente. Foi uma forma prática para que o Outubro Rosa tivesse uma expansão cada vez mais abrangente para a população e que, principalmente, pudesse ser replicada em qualquer lugar, já que é necessário apenas adequar a iluminação já existente.
A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em torno de uma nobre causa. Cada vez mais pessoas reúnem-se ao movimento. Nisso, a iluminação em rosa assumiu importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.